sábado, 15 de agosto de 2009

Festas e arraiais

.

Como todos já devem ter assistido, nesta época do ano há, em quase todas as terrinhas, a sua festa anual...


Aqui onde vivo, não foge à regra...


Há num espaço de 20km códrados, há mais festas em Julho e Agosto, que no resto do ano no concelho todo.


As festas da terra, antigamente, serviam para o engate!


O moço vinha para a festa na sua bela Famel Zundap, ou na V5... Fazia-se ouvir ainda uns quilómetros antes da sua chegada, escape livre e uma mudança abaixo... Fazia a sua entrada triunfal pela ala lateral da festa e estacionava a mota... Sacava do capacete, para pôr à vista de todos as suas belas patilhas...


A bela moçoila vestia-se a preceito, vinha a pé e ficava sentadita, com a mãe ou avó, numas cadeiras estrategicamente colocadas ao fundo da pista de dança, os bares ficavam junto ao palco...

Os varões casadoiros da terra iam emborcando penaltis de tinto, enquanto faziam a escolha e iam berrando palermices e armando aos cágados com os amigos, para que a plumagem crescesse e a pretendida os admirasse.




Tudo isto ao som (magnífico, por sinal) do fenomenal Grupo 2000, ou dos maravilhásticos Odisseia, ou até mesmo as fantásticas Doce. Em que se ouvia uma música instrumental altíssima e lá ao fundo a voz do vocalista em que nas músicas em inglês só se percebia a terminação!!


Depois destes trâmites sociais, lá vinha o belo mancebo (empurrado pela coragem do tinto) pedir autorização ao "cão de guarda" e lá levava a moça para a pista para dançarem e trocarem umas beijocas, às escondidas!


Muitos casamentos começaram assim e muitos ainda perduram!


Havia sempre os bêbados que dançavam a noite toda, só intervalando pelo atestar na tasca.


Um dos pontos altos eram as garraiadas!




Soltavam umas vacas, uma de cada vez, e os ditos mancebos iam pegá-las ou iam ao centro da arena buscar cervejas que lá havia espalhadas pelo chão enquanto as suas belas ficavam a admirar-lhes a coragem e a compará-los a um Adónis dos tempos modernos!


Na procissão também saía toda a terra à rua. Esse também era um momento alto para os namoricos e apalpões! As mães e avós, devoradas pela devoção, desapertavam um pouco o cerco, que era logo aproveitado para uns amassos e passagem de bilhetinhos (às santas), com locais escondidos da vista de toda a gente e em que os encontros eram tórridos!!


Lembro disto tudo e de ir para as festas apreciar estas técnicas de acasalamento... Era delicioso!


Hoje em dia já nada disto se passa...


As festas continuam, as moçoilas e os mancebos também lá vão e levam a reboque as mães ou as caquécticas avós, mas só para lhes pagarem os carrinhos de choque ou os simuladores. Estão-se cagando para o reprovador abanar de cabeça, dos mais velhos, a cada beijo ou apalpanito.


Na pista de dança só se atrevem os bêbados e os malucos da terra e das redondezas. Sim, que para os bêbados a tradição ainda é o que era!


As diversões atraem muito mais que as bandas, ainda por cima umas são de tal maneira más, que bem podiam dar um tiro no meio dos olhos do vocalista (geralmente é sempre o pior), para lhe e nos acabar com o sofrimento.


Como eu sou uma sonhadora, espero que isto ainda volte a ter graça, entretanto, vou-me divertindo por lá com a minha família grande!


(Antes de ontem a filhota do meio foi fazer uma pega à vaca e o mais velho ficou a segurar no rabo, ai ai...)


Acho que na Mongólia ainda se pratica a tradição, mas é difícil para os moços distinguirem as moçoilas dos pais ou até mesmo dos irmãos e avós...



.

10 comentários:

Bernardo Moura disse...

"..Sacava do capacete, para pôr à vista de todos as suas belas patilhas...". Se ai sacava do capacete já não era mau, porque no norte não sacam do capacete. Como usam sempre o capacete para proteger o cotovelo, não vá acontecer alguma coisita ao dito cotovelo, os MÁMÉNES das Famel Foguete V5, Zundapp`s e afins só saiam de cima das suas valentes machines, com andar de quem levou com um clister pelo dito a cima e pavoneavam-se pelo recinto a cumprimentar toda a gente, e toda a gente a cumprimenta-los, por norma não faziam puto de quem era, mas ficava bem, sabe-se lá se não era filho do Tó e coise.

Prontes!

Fui-me..

:)

Bjs

tronxa disse...

olha que nao é tao diferente assim, bernardo!!


aki tb andavam com o capacete a servir de cotoveleira, ate pk as x dava jeito para os arraiais de porrada que começavam ao fim da noite, provocados por alguns ciumes e muito alcool!!

ehehehehehe

bjnhssssssssssssssssss e bem voltado sejas ao mundo da blogosfera!!

Libelinha disse...

Não sou desse tempo, hehehe... Mas é a descrição do que a minha avó me conta, hehehe!... E a minha mãe também...

Beijinhos ;p

Otário disse...

sou de festas.
por vezes são exageradas.
este tipo de.

mas, para aliviar,
faz muito bem uma vez
ou outra.

korrosiva disse...

Fosga-se... mas tu actualizas isto e nem abisas????

Porca miseria!!
Looooooooooooooooooool

beijinhosssssssssssssssssssssssssssssssssssss de bommmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm diaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa pa tu :))

tronxa disse...

ve la bem, libelinha, o kt cota eu sou!!!

eheheheh

bjnhssssssssssss

tronxa disse...

ainda ontem andei nas festas ate ás 500as e tb curti, otario.

benvindo ao tasco

tronxa disse...

e eu agora apanho-te adondi, oh caramela????

eu actualizei isto e nunca mais ca bim!!

bjnhssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss gdis de bommmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm diaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

PP_FANTASMA disse...

Isso passa em sinal aberto ou vai pró cabo?
Ks

tronxa disse...

as festarolas passam sempre em canal aberto, pp-fantasma!!

é so querer ir apreciar e tb deves ter uma perto de ti!!

embora agora seja mais dificil... ja k o verao kente e a altura de mais festas ja la vai...

nos por ca, temos a decorrer as festas de s. soao das lampas e la mais para o fim do mes as de almoçageme!!

bjnhsss e benvindo ao tasco ó códrado!